Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/83
Título : Dinâmica de uso dos recursos florestais em diferentes modelos de ocupação territorial no Oeste Paraense
metadata.dc.creator: ALMEIDA, Everton Cristo de
Palabras clave : Amazônia;Recurso florestal;Sustentabilidade;Socioecologia;Silvicultura tropical
Fecha de publicación : 2019
Editorial : Universidade Federal do Oeste do Pará
Citación : ALMEIDA, Everton Cristo de. Dinâmica de uso dos recursos florestais em diferentes modelos de ocupação territorial no Oeste Paraense. Orientador: João Ricardo Vasconcellos Gama. 2019. 170 f. Tese (Doutorado em Ciências Ambientais) - Programa de Pós-graduação em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/83. Acesso em:
Resumen : This thesis aimed to analyze the dynamics in the use of forest resources by communities in Conservation Units and Settlement Project in western Para. Qualiquantitative analysis tools such as Fuzzy Comparative Qualitative Analysis of Fuzzy Set Values (FsQCA), synthetic index on Economic and Social Development, PCA and cluster analysis were used to question and propose reasonable solutions that take into account the conditions of need. and sufficiency of the socioecological system, for the socioeconomic development of the communities of different occupation units in the west of Para. As a result, the combination of first-tier variables (SG * UR * U), having as response variable the Economic and Social Development Index (IDES), obtained coverage values 0.80 and consistency 0.96, implying a condition sufficiency for IDES. About 70% of the communities had median values for the Economic and Social Development Index (0.5 <SDI <0.8), the remaining 30% are below 0.5, classified as low SDI. Communities use forest resources differently, riverside communities are more extractivist, make better use of timber and non-timber forest products from native forests, the result of empirical knowledge accumulated over the generations. And settled communities prefer to plant trees, formed agroforestry systems, among other systems such as backyards and integrated with animal husbandry and short-cycle agricultural crops. Among the most cultivated forest species are andiroba, cumaru and piquiá, among other fruit trees, mainly in agroforestry yards. In settlements, the disposition of the causal condition is also highly influenced by the elements of the first layer of variables, however, the dynamics of use are differentiated, since the cultivation of forest essences, the different arrangements of SAFs, the organization in the tasks of cultivation and economic empowerment, are characteristics that differentiate the dynamics of use of these resources, leaning towards mixed use, with silvicultural practices among other techniques of management of rural property. In a way, extractivism and forestry systems as they are being conducted are not contributing to the development of communities. Exchanging experiences can be an important tool for development in the region, where agroforestry and family farming form the basis of the local economy. Therefore, developing economic activities based on the domestication of forest species and genetic improvement through empirical and technical-scientific knowledge, supported by the main social and state actors, is a viable alternative and may be an important step. sustainable development of communities that have the forest as their main heritage.
metadata.dc.description.resumo: A presente Tese teve o objetivo de analisar a dinâmica no uso dos recursos florestais por comunidades em Unidades de Conservação e Projeto de Assentamento no oeste paraense. Foram utilizadas ferramentas de análises qualiquantitativas como a Análise Qualitativa Comparativa de valores de conjuntos difusos (FsQCA), índices sintéticos sobre o Desenvolvimento Econômico e Social, PCA e análise de clusters, para questionar e propor soluções razoáveis, que levem em consideração as condições de necessidade e suficiência do sistema socioecológico, para o desenvolvimento socioeconômico das comunidades de diferentes unidades de ocupação no oeste paraense. Como resultados, a combinação das variáveis de primeira camada (SG*UR*U), tendo como variável resposta o Índice de Desenvolvimento Econômico e Social (IDES), obteve valores de cobertura 0,80 e consistência 0,96, implicando em uma condição de suficiência, para o IDES. Cerca de 70% das comunidades apresentaram valores medianos para o Índice de Desenvolvimento Econômico e Social (0,5 < IDES < 0,8), os 30% restantes estão abaixo de 0,5, classificadas como baixo IDES. As comunidades usam de forma diferenciada o recurso florestal, as comunidades ribeirinhas são mais extrativistas, aproveitam melhor os produtos florestais madeireiros e não madeireiros oriundos de floresta nativa, fruto do conhecimento empírico acumulado durante as gerações. E as comunidades assentadas preferem plantar árvores, formado sistemas agroflorestais, entre outros sistemas, como quintais e integrados com criação de animais e culturas agrícolas de ciclos curtos. Destacam-se entre as espécies florestais mais cultivadas a andiroba, o cumaru e o piquiá, dentre outras frutíferas, principalmente em quintais agroflorestais. Em assentamentos, a disposição da condição causal também é altamente influenciada pelos elementos da primeira camada de variáveis, no entanto, a dinâmica de uso é diferenciada, uma vez que o cultivo de essências florestais, os diferentes arranjos de SAFs, a organização nas tarefas de cultivo e o empoderamento econômico, são características que diferenciam a dinâmica de uso desses recursos, inclinando-se para o uso misto, com práticas silviculturais entre outras técnicas de gestão da propriedade rural. De certa forma, o extrativismo e os sistemas silviculturais, da forma como estão sendo conduzidos, não estão contribuindo com o desenvolvimento das comunidades. A troca de experiências poderá ser uma importante ferramenta para que haja desenvolvimento na região, onde a produção agroflorestal e da agricultura familiar compõem a base da economia local. Portanto, desenvolver atividades econômicas baseadas na domesticação de espécies florestais e no melhoramento genético, por meio do conhecimento empírico e técnico-científico, com apoio dos principais atores sociais e do estado, mostra-se como uma alternativa viável e que poderá ser um passo importante no desenvolvimento sustentável de comunidades que têm a floresta como seu principal patrimônio.
URI : https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/83
Aparece en las colecciones: Teses em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento (Doutorado)

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
Tese_DinamicadeUsodosRecursos.pdf16,52 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este ítem está sujeto a una licencia Creative Commons Licencia Creative Commons Creative Commons