Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/576
Title: Ampliando o conhecimento sobre a Flora Amazônica: distribuição da riqueza de samambaias e licófitas na Amazônia Central
metadata.dc.creator: OLIVEIRA, Marise Helen Vale de
Keywords: Amazônia;Conhecimento da biodiversidade;Lacunas de coleta;Rio Tapajós;Registros de herbário
Issue Date: 17-Feb-2020
Publisher: Universidade Federal do Oeste do Pará
Citation: OLIVEIRA, Marise Helen Vale de. Ampliando o conhecimento sobre a Flora Amazônica: distribuição da riqueza de samambaias e licófitas na Amazônia Central. Orientadora: Thaís Elias Almeida. 2020. 57 f. Dissertação (Mestrado em Biodiversidade) - Programa de Pós-graduação em Biodiversidade, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/576. Acesso em:
Abstract: Ferns and lycophytes are seedless plants of ancient origin. Its dispersion through spores occurs by the wind, which makes them possible to occur in several places. They are important environmental indicators, becoming a special group when it comes to conservation. The Lower Tapajós region, located in the western region of Pará state, in the Tapajós River basin, has a large diversity of ferns and lycophytes, but all this richness is under threat from constant human actions such as fires in Protected Areas and construction of dams in the Tapajós river . The objective of this work was to analyze collection gaps, sampling biases, richness distribution and assess if protected areas in the Lower Tapajós are contributing to the conservation of the flora using ferns and lycophytes as model group. For this, a database was built from information of each fern and lycophyte specimen collected in the region and deposited in scientific collections or available in published works. These records were verified for location accuracy and correctness and were georeferenced when necessary. The records were checked and identified using a dichotomous key. The relationship between sampling effort and species richness was evaluated as well as whether records were biased towards areas close to access routes (defined as roads or navigable rivers). A comparison of species composition was made between the study areas and sixteen other areas that have fern and lycophyte inventories in the Brazilian Amazon. Here we present the first checklist for the ferns of the Baixo Tapajós basin, as well as for the four Conservation Units that presented records of these plants. It was possible to identify the conservation status of the species as well as places that had collection gaps. The sampling bias was also verified from the access routes in rivers and roads and it was possible to verify a collection density restricted to areas with easy access and close to large municipalities. Because it is a target region of destructive actions and a study group so sensitive to environmental changes, the information obtained from the research is of paramount importance to aid in the conservation of the flora of the Lower Tapajós region. Obtaining this data from an herbarium collection further enhances the preciousness of these scientific collections, and how much it is capable of storing and recording the history of the flora of a given region. Based on this study on information about the distribution of these plants, it is possible for managers of protected areas to use this information to develop species protection policies, so as to minimize conflicts of devastation in forest areas caused by human action.
metadata.dc.description.resumo: Samambaias e licófitas são plantas de origem antiga, desprovidas de sementes. Sua dispersão através de esporos ocorre pelo vento, o que torna possível sua distribuição para diversos locais. São importantes indicadores ambientais, se tornando um grupo especial quando o assunto é conservação. A região do Baixo Tapajós, localizada na região oeste do estado do Pará, na bacia do rio Tapajós, apresenta uma grande diversidade de samambaias e licófitas, mas toda essa riqueza está sob ameaça pelas constantes ações humanas como queimadas em Áreas de Proteção Ambiental e construção de barragens no curso do rio Tapajós. O objetivo desse trabalho foi analisar lacunas de coletas, vieses de amostragem, distribuição da riqueza e checar se as áreas protegidas na região do Baixo Tapajós estão contribuindo para a conservação da flora usando sambambaias e licófitas como grupo modelo. Para isso, uma base de dados foi construída a partir de informações de cada espécime de samambaia e licófita coletado na região e depositado em coleções científicas ou disponíveis em trabalhos publicados. Esses registros foram verificados para precisão e correção da localização e foram georeferenciados quando necessário. Os registros foram checados e identificados com auxílio de chave dicotômica. A relação entre esforço amostral e riqueza de espécies foi avaliada assim como se os registros são enviesados para áreas próximas a rotas de acesso (definidos como estradas ou rios navegáveis). Foi feita uma comparação da composição das espécies entre as áreas de estudo e outras dezesseis áreas que possuem inventários de samambaias e licófitas na Amazônia brasileira. Apresentamos aqui o primeiro checklist para as samambaias da bacia do Baixo Tapajós, assim como para as quatro Unidades de Conservação que apresentaram registros dessas plantas. Foi possível identificar o estado de conservação das espécies assim como locais que apresentavam lacunas de coleta. O viés de amostragem também foi verificado a partir das rotas de acesso em rios e estradas e foi possível verificar um adensamento de coletas restrito a áreas de acesso facilitado e próximo de grandes municípios. Por se tratar de uma região alvo de ações destrutivas e um grupo de estudo tão sensível a mudanças ambientais, as informações obtidas a partir da pesquisa são de suma importância para o auxílio na conservação da flora da região do Baixo Tapajós. Obter esses dados a partir de acervo de herbário valoriza ainda mais a preciosidade dessas coleções científicas, e o quanto ele é capaz de guardar e registrar a história da flora de uma determinada região. Com base no referido estudo sobre informações a respeito da distribuição dessas plantas se faz possível que gestores de Unidades de Conservação utilizem essas informações para elaborar políticas de proteção as espécies, para que assim minimizem conflitos de devastação em áreas de floresta ocasionada por ação humana.
URI: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/576
Appears in Collections:Dissertações em Biodiversidade (Mestrado)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_AmpliandooConhecimentoSobre.pdf1,38 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons